Como definir o budget de um Programa de Fidelidade

 

07

 

 

O budget de um Programa de Fidelidade deve sair de uma parcela da margem de contribuição dos produtos e/ou serviços da empresa patrocinadora, ou seja, não se pode trabalhar um Programa de Fidelidade com budget pré-definido ou o que chamamos de “budget fechado”.

Se o budget não for ancorado em um percentual da margem, em pouco tempo não haverá como pagar os pontos conquistados aos participantes. Outra coisa muito importante é determinar um prazo para o resgate dos pontos acumulados para não ficar com um passivo financeiro, já que pontos poem ser trocados por produtos ou serviços, ou seja, pontos valem dinheiro.

Mas, independente do percentual que será revertido para a pontuação não esqueça que o tempo para acúmulo de pontos que permita a troca por algum benefício interessante não pode ser muito longo, o que gerá desânimo e desistência dos participantes. Por isso muitas vezes as empresas permitem a reversão da sua pontuação para programas de grande porte, que reúnem as pontuações de vários programas paralelos, como por exemplo o Programa Múltiplus.

Se o programa for B2B, é possível, dentro de certas limitações, trabalhar com budget fechado, o que não é ideal, mas possível. Neste caso é necessário fazer exaustivas simulações prevendo compras máximas, sazonalidade, dentre outras variáveis, para que se possa definir o valor do ponto sem que a empresa tenha surpresas na hora de devolver esta pontuação em premiação e benefícios.

No B2B também é comum colocar limites nas pontuações conquistáveis, ou “teto” de pontuação, principalmente em mercados nos quais não se consegue ter controle sobre algumas práticas executadas pelos participantes. Isto garante a saúde do programa e sua continuidade.

Pensando em implantar um programa para sua empresa? F25ale com a gente.